Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

VIRTUAL C


16/06/2008
    A participação da classe C nas compras on-line cresce a passos largos. Segundo pesquisa realizada pela e-Bit, a classe foi responsável por 35% das aquisições no varejo da internet em dezembro passado, com média de R$ 205 por pessoa. Apesar do valor ser menor que o das classes A e B (R$ 322), o volume de vendas é maior. Um dos fatores é o aumento do número de internautas da classe C no comércio eletrônico, que em 2000 representava 4,2%, e em 2007 ultrapassou os 10%.

    Os produtos mais procurados por todas as classes são os livros, seguidos da informática e perfume e cosméticos. A principal diferença entre as classes são os celulares. A telefonia móvel aparece na lista dos principais itens de consumo da classe C, com 7% da preferência. Já os internautas das classes A e B diferenciam-se pelo consumo de eletrodomésticos.

    Os grandes atrativos são os prazos de financiamento on-line e o anonimato, já que clientes da classe C podem sentir-se constrangidos ao entrar em uma loja mais sofisticada. O mesmo vale para os clientes das classes A e B em lojas mais populares. Mas há o outro lado. A renda e o acesso à internet ainda são empecilhos para os menos favorecidos, além da insegurança na compra pela web, que atinge a todas as classes.