Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

VAMOS DAR AQUELA ESPIADINHA?


Edicão: 125 - 02/05/2013

Com a multiplicidade de canais e variedade de compras, surge um novo "inimigo" das lojas físicas no varejo. São os chamados showroomers, aquela pessoa que entra na loja para olhar, tocar, experimen­tar e questionar o vendedor, mas não realiza a compra. Nesses casos, a compra será feita em outros canais, no que ele julgar melhor. Esses consumidores repre­sentam 60% do fluxo das lojas americanas, segundo pesquisa da IBM. A maioria deles, 58% são homens entre 18 e 34 anos, os chamados "millennials", que visitam comunidades on-line pelo menos uma vez ao dia, e na maioria delas para postar comentários positivos. "Eles são altamente sociais, influenciadores, conhecem o produto sobre o qual estão opinando e não têm medo de compartilhar sua opinião.

O varejo não deve enxergá-lo como inimigo", revelou Jill Puleri, vice-presidente global para varejo da IBM. Porém, em casos como a Best Buy, o consumidor usa as lojas para avaliarem o produto e compram posteriormente na Amazon. Já a Target enviou uma carta aos fornecedores pedindo a eles que criassem produtos exclusivos para a loja, tornando impossível que os consumidores os comprassem em outros lugares. "Não estamos dispostos a dei­xar que os varejistas on-line utilizem nossas lojas como showroom para seus produtos e minem nossos preços sem fazer investimentos, como nós fazemos, para exibirem suas marcas", explicou a loja. Para Maurício Morgado, professor da FGV, uma saída é a loja servir de showroom para seu próprio site.