Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

PODER OU CÁRCERE JUVENIL?


25/02/2005

    As crianças mudaram por causa dos pais ou os pais mudaram por causa das crianças? Seja como for, ninguém sabe ao certo, o fato é que as crianças não são mais as mesmas e nem os pais.
    Antes as crianças apenas brincavam, hoje, são os "donos da tecnologia" e ávidos consumidores. Oprimem seus pais que por desconhecerem as "parafernálias tecnológicas" acabam comprando placas mais rápidas e caras, por exemplo.
    Esta ligação tecnológica aumenta com a idade, segundo pesquisa Ipsos 2004:
        - Na faixa entre 10 e 12 anos, 81% das crianças preferem assistir a filmes em DVD e VK-7;  73% preferem passear e comer    em shopping; 49% preferem ler; 36% acessam a internet em casa; 21% participam de chats na rede; 19% trocam e-mails; 37% possuem celular e 25% têm computador.
        - Na faixa entre 13 e 17 anos, 70% assistem a filmes em DVD e videocassete; passear e comer em shopping 71% preferem; apenas 39% preferem ler ; 48% acessam a internet de casa ; 32% participam de chats na rede;  40% trocam e-mails; 64% possuem celular e 41% têm computador.
      Acredita-se que a próxima geração será tão ou mais ávida por consumo que a atual. De acordo com a socióloga Jullet Schor, um bebê de 18 meses, já é capaz de reconhecer logotipos; aos 2 anos ele já pede os produtos pelo nome e aos 6 anos, identifica 200 marcas diferentes. E mais, os cientistas pesquisam para descobrir como os anúncios influenciam o cérebro dos adolescentes.
    Segundo pesquisa da AC Nielsen de 2003, 90% das crianças acompanham a família no supermercado pelo menos 1x por mês, sendo que, 76% delas cedem aos pedidos dos filhos na maioria das vezes; 15% sempre cedem e apenas 9% dizem não; cerca de 40% de todas as compras feitas pela família no supermercado são influenciadas pelos filhos.
     Nos EUA, o gasto de crianças e adolescentes atinge os US$30 bilhões em compras diretas e eles são responsáveis indiretos por US$600 bilhões relativos aos pais.
    Os marketeiros utilizam pesquisa para descobrir os garotos e garotas mais populares da turma, patrocinam esses líderes, quer dizer, transformando-os em seus garotos-propaganda.   
    Em relação aos produtos, as crianças de 10 a 12 anos das classes A e B, escolhem a marca de tênis em 71% dos casos; as roupas em 61%; a lanchonete em 57%; o celular em 40%; os produtos de higiene pessoal em 39%, de acordo coma pesquisa Ipsos Brasil/2004.