Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

NINGUÉM OUSA IGNORAR


23/01/2008

      Depois de décadas ignorando a existência dos consumidores de baixa renda, as empresas de bens de consumo finalmente descobriram o potencial da base da pirâmide mundial, formada pelos mais de 4 bilhões de habitantes que possuem renda per capita anual inferior a $ 3 mil dólares. Hoje em dia, a população menos favorecida está virando peça central na estratégia de crescimento dessas empresas.

     Segundo o americano Stuart L. Hart, um dos maiores especialistas do mundo na construção de modelos de negócios voltados para a baixa renda, o potencial deste grupo é enorme. Na década de 80, cerca de 35% da população mundial vivia com menos de US$ 1 por dia. Há dois anos, essa fatia caiu para 17%, o que mostra uma gradual melhoria de renda desse segmento. De acordo com o levantamento do International Finance Corporation (IFC), esses 4 bilhões de habitantes representam um mercado de cerca de US$ 5 trilhões.

     O especialista faz um alerta "somente serão bem-sucedidas neste mercado as empresas que a realmente descobrirem quais são as necessidades específicas desses consumidores e então desenvolver produtos que apresentem soluções.

     Somente no Brasil, um estudo da consultoria Boston Consulting Group mostra que pessoas com rendimento familiar mensal entre US$ 100 e US$ 700 têm 32% da renda total do país e, quando o quesito é consumo, esse índice sobe para 45%.