Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

EM BUSCA DO HEDONISMO


27/04/2005

   Execrada em décadas passadas, a frase "eu mereço" está caindo no gosto popular e transformando o hedonismo como prática normal. 
Adaptado aos dias de hoje, o hedonismo traz a sofisticação que pode estar numa simples torta de maracujá com pequi e sorvete de menta a R$11,0 o pedaço a um dia no autódromo de Silverstone dirigindo um Porsche 911 pela bagatela de R$3 mil.
  Dos antigos bon-vivants ou playboys que gastavam quantias nababescas com coisas frívolas, os atuais hedonistas, não são necessariamente os milionários excêntricos, são pessoas que não abrem mão dos pequenos prazeres, mas também estão dispostos a abrir a carteira atrás de alguns momentos inesquecíveis, estejam eles onde estiverem como num prato de comida ou numa ilha paradisíaca.
  E com isso, até o comportamento está mudando, mais do que dizer que troca de carro todo ano, é mais chique saber conversar sobre vinhos ou sobre azeites ou sobre a inesquecível viagem feita ao Butão - um minúsculo País localizado no Himalaia onde o governo local cobra taxa de US$200/dia de estada e os hotéis US$1mil de diária.    
  É a vida regida pelo princípio do prazer, ou como diria os psicanalistas, pelo Inconsciente.