Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

EFICÁCIA EXTREMA


03/01/2005

    Segundo Helen Katz, diretora de Pesquisa Estratégica da GM Planworks/EUA, as revistas oferecem uma multiplicidade de títulos, uma verdadeira "explosão de escolhas". É a supersegmentação originada da TV e que fez as editoras lançarem revistas extremamente especializadas atingindo públicos mais qualificados, com maior identidade e conteúdos pertinentes.

    As principais vantagens do meio revista são: público mais qualificado com idade entre 18 e 44 anos; com nível superior e renda familiar acima de US$50mil/ano; grande envolvimento emocional por parte dos leitores que levam 33% publicitários a acreditarem que a publicidade complementa os conteúdos das revistas. Cerca de 94% da população adulta norte-americana lê revistas ao logo de 1 ano e que o tempo médio gasto é de 45minutos por título.

    E mais, a resistência é menor às mensagens publicitárias, porque 36% do público ignora anúncios de TV, mas apenas 11% ignora o anúncio impresso, sendo que 44% dos consumidores compram os produtos depois de verem os anúncios na mesma.

    Fora isso, as revistas desfrutam de credibilidade, os leitores confiam mais na autoridade da palavra escrita. De longevidade, elas tendem a ser preservadas por mais tempo e lidas por 4 pessoas, em média, aumentando o seu alcance. De velocidade, as pessoas conseguem ler numa velocidade até 5x maior do que a necessária para compreender uma mensagem falada. De  fidelidade, as pessoas querem continuar recebendo aquele tipo de informação.