Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

DISPUTA VIRTUAL


04/01/2005
Quem sempre achou que videogame era coisa de criança ou de desocupado está tendo que "rever os seus conceitos", pois é a indústria que mais cresce no mundo, chegando a suplantar a indústria cinematográfica hollywoodiana. Os jogos eletrônicos estão espalhados em todos os lugares, dos consoles aos celulares, passando pelos fliperamas e pela febre das Lan House´s - Local Area Network ou casa de jogos em rede. Em 2003, foram US$30 bilhões nos EUA, enquanto a industria cinematográfica faturou US$ 19 bilhões. No Brasil já temos 7 milhões de jogadores regulares que ficam, em média, entre  e 3 horas jogando, e mais de 2,5 mil lan houses espalhadas pelo País, mas este número é ainda incipiente e promete explodir, pois as empresas estão fomentando verdadeiros campeonatos profissionais com premiações em dinheiro para disseminar a prática.
Calcado no conceito de tribos, a lan house´s abrigam verdadeiras
coletividades, são pessoas que fazem dos locais, pontos de encontro com a "turma", onde podem jogar e rever os amigos. Segundo a pesquisa Monkey dee 2003, o perfil dos gamers - jogadores
assíduos - está mudando. Hoje são 87% homens e 13% mulheres, 28% do público tem 18 anos ou mais e 51% tem entre 13 a 17 anos; 75% dos jogadores freqüentam as lan house´s entre 1 e 3 vezes por semana; 67% dos players jogam entre 1 e 3 horas.