Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

CMO - CHIEF MARKETING OFFICER


12/06/2005

   Mais do que uma sigla, o CMO representa muito para os profissionais de marketing. Como as reogarnizações caminham a passos largos nas empresas, há a necessidade de um profissional apto a capitaneá-las e mais do que isso, estar à frente do seu tempo.
     Cerca de 47% das empresas que participam da "Fortune 1000" contam, hoje com um recente CMO contra 91% das que tem um diretor financeiro e 83% têm um diretor de recursos humanos. O cargo é, relativamente novo, mas as exigências não. O cargo é "perigoso", segundo pesquisa CMO Ternure, o tempo de permanência na função é, em média, de 23 meses e o setor de alimentos é o que apresenta menor média com 12 meses
    De acordo com pesquisa da ANA/Boz Allen Hamilton de 2004, as áreas de concentração dos departamentos de marketing são: orientação de marca com 83%; divisões de aconselhamento com 52%; compartilhar melhores práticas com 52%; desenvolver habilidades com 47%; conduzir o crescimento com 46%; conduzir as pautas do presidente com 37% e conduzir a inovação com 35%. E ainda, as pressões que o marketing vem sofrendo dentro da empresa referem-se a: medir o desempenho do marketing é difícil para 51%; o marketing não é apreciado pela direção da empresa por 22%; o marketing não é apreciado pelas unidades de negócio com 19% e outras razões com 8%.
   O estudo CEO Challenge de 2004 apontou as 4 prioridades dos presidentes das empresas: crescimento de 1ª linha nos negócios para 52%; velocidade, flexibilidade e capacidade de adaptação à mudança para 42%; lealdade e retenção de clientes para 41% e estímulo à inovação para 31%.
    Observa-se, ainda que há uma total falta de sincronia entre os interesses dos profisssionais de marketing com os do presidente da empresa.