Informativo eletrônico que amplia a compreensão do nosso principal foco: as pessoas, seus comportamentos e como elas evoluem.

APOSTA DE US$ 2 BILHÕES DO FACEBOOK NA OCULUS ATÉ AGORA NÃO DECOLOU.


Edicão: 135 - 12/04/2017

Vai fazer 3 anos que Mark Zuckerberg comprou a Oculus de Palmer Luckey (co-fundador) mas em conferência em fevereiro último ele reconheceu que “estamos um pouco atrás de onde queríamos estar” – reportou Business Insider em seu boletim Tech Insider.  Os números do Facebook ainda não foram divulgados, mas os movimentos iniciais da HTC e da Sony certamente puseram uma grande pressão sobre o gigante das redes sociais.  Zuckerberg reconhece “a decepção” por conta dos atrasos nos embarques dos Oculus Rift VR e seus controles táteis, e que “as vendas de VR não serão lucrativas ainda por um bom tempo”.

Desde janeiro deste ano, Zuckerberg contratou o executivo Hugo Barra (ex-Xiaomi) para liderar os esforços em realidade virtual do Facebook – sugerindo a preocupação em dar uma supervisão mais madura à área.  Assim, Luckey saiu de cena em fevereiro, com sua última participação em nome da empresa, sentenciados culpados em um processo de roubo de tecnologia (movido pela ZeniMax) – cabendo ao Facebook a pena de multa de US$ 500 milhões de dólares por danos ao infringir as leis de patentes e ao co-fundador da Oculus, pessoalmente, o valor de US$ 50 milhões de dólares pela quebra de sigilo do acordo de confidencialidade com a ZeniMax, assinado lá no começo de vida da Oculus.  

Recentemente, a Samsung confirmou que até hoje vendeu 5 milhões de seu headset Gear VR, todos operando o software Oculus.  Em um relatório da SuperData Research em fevereiro/17 é mencionado que a receita total do mercado de aparelhos de VR de 2016 foi de US $ 1,8 bilhão, com 6,3 milhões de aparelhos vendidos.

Colaboração: Henrique Vieira, estrategista de negócios e marketing digital.
Fontes: AMA, PWC, Mente&Cérebro, Business Insider e Boletim RecordTVRio